Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

riscos_e_rabiscos

.

.

Começo de semana para esquecer...

Comecei a semana feita num oito. Acordei com um cansaço enorme em cima, parecia que tinha sido atropelada por um camião. A custo levantei-me, fiz a minha higiene, bebi um café - que se entornou metade na mesa aquando da sua feitura - pus uns palitos nas pálpebras e comecei a labutar... em "modo caracol".

 

Lá fui arrebitando ao longo da manhã, até porque hoje tinha de fazer o almoço porque a mãe foi com o mano para o médico porque estava com uma crise de asma. Então, tive de fazer o meu almoço e o do meu pai. Apesar do "modo caracol", consegui comer a horas e despachar-me para ir para a escola.

 

Os miúdos andam já fartos da escola e este tempo de ora aquece, ora arrefece, parece que os deixa ainda mais impacientes. E não são só eles mas isto não era para dizer...

 

Numa das minhas turmas, tenho um miúdo ara o qual já esgotei a minha paciência. Os pais não querem saber, a mim começa a ser-me indiferente e a direcção da escola, já sabe como não funciona aquela família e está conivente comigo.

 

Hoje enervei-me. O miúdo não respeita nada nem ninguém. Passo as aulas a ouvir queixas dos colegas que o tal miúdo não os deixa trabalhar e nem concentrar porque está sempre a falar com quem estiver à volta ou a falar sozinho. E eu percebo os outros. Como se pode aprender se há alguém sistematicamente a perturabar a aula? E que eu mando calar, que mudo de lugar, que coloco sozinho numa mesa, que ameaço com castigos, que lhe digo que vai para a direcção até os pais virem e nada faz efeito?

 

Anteriormente, tratei o miúdo de outra forma, tentei apelar-lhe ao coração, fechei um pouco os olhos a certas coisas porque tinha pena dele, pois ninguém gosta dele e porque a professora titular era um carrasco para ele. Não gostava de ver aquilo. Não achava que fosse correcto.

 

Mas o miúdo ao longo do ano foi fazendo tantas, demonstrando que desconheces o que é respeito, regras e ser social que a paciência esgota-se. E ainda mais se esgota quando os pais não querem saber. E eu não sou mal paga para aturar gente mal educada, sou mal paga para ensinar. Se a professora titular não consegue fazer nada dele e está quase todo o dia com ele, não sou eu que em micro aulas consigo fazer milagres. Tenho nome de santa mas não faço milagres. Nem a direcção consegue fazer o que quer que seja do miúdo, nem dando-lhe castigos (retirando-lhe aquilo que ele gosta de fazer). É um caso grave de indisciplina e de pais que não querem saber. Dizem as más linguas que o miúdo foi expulso da outra escola particular de onde estava. E eu até acredito.

 

A minha aula seguinte foi teste e eu pude comprovar que os putos não estudaram nada. Devem estar cá uns testes!

 

Em suma, com isto tudo e mais alguns salpicos de outras coisas, cheguei a casa com uma dor de cabeça de morte!

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.